Gabriel

Imaginem a situação: 

Em um bar local de uma cidadezinha do interior de Sp, haviam três amigos que bebiam e riam, que em um momento de loucura (as duas garotas), decidiram mandar bilhetinhos pra dois caras interessantes que haviam no bar.

Era de se esperar que não resultasse em nada, contudo uma das garotas estava determinada a ser notada pelo cara de tatuagens nas panturrilhas.

Ela se levanta da mesa que estava com os amigos, e vai de encontro a roda de amigos onde estava o garoto. E, com a maior simplicidade, encarou o garoto e peguntou:

– me da um cigarro?

Não que ela fumasse, apenas Tava puxando assunto com o garoto. E, após ele deu, ela apenas saiu

Depois de um tempo, o garoto foi de encontro com a garota (a qual estava encarando ele discaradamente), e acabaram se beijando.

Ele pergunta se havia sido ela que tinha mandado o bilhete.

Ela: sim, não achei que notaria de outra forma

Ele: fato, não teria notado você

Depois de um tempo se encontrando, se estranhando, e se afastando.

Ela se apaixona pelo garoto. Ele havia sido o primeiro que deixava insegura, irritada e, ao mesmo tempo nas nuvens. E, para completar a satisfazia na cama como nenhum outro homem

Ele nesse período havia amado outra, necessitado dela pra apoio quando terminaram e quando essa deixou o mundo. Decidiu que gostava da garota como amiga, ela estava sendo sua melhor amiga

No final, ela apenas se cansou da sua eterna trouxisse. Apenas não sabia como deixar ir algo que a fizera bem e mal ao mesmo tempo. 

Talvez tenha apenas desistido de correr por algo que nunca lhe seria dado. Algo que nunca lhe pertenceu, apesar de parcas vezes acreditar no talvez. 

Depois de dois anos, admitiu pra si, nunca teria o coração do garoto. Ele era muito gentil pra dar-lhe um choque de realidade, e abandoná-la  

Anna

Em uma comunidade elfica bem distante de tudo..

Nasce um casal de gêmeos, tão poderosos que temiam que sem o devido treinamento poderiam destruir o mundo sem perceber..

Os líderes da comunidade, para se prevenirem, implantaram um gênio no bebê do sexo masculino (por ser bem mais controlado e centrado), e o bebê do sexo feminino passaria por um ritual de magia negra, no qual se esperava diminuir o ímpeto de quebrar as regras e os poderes

Durante o ritual, os feiticeiros negros mesclaram o sangue elfico da menina com o sangue anão. Era um ritual doloroso, que poucos sobreviviam. 

A criança resistiu ao ritual, e pra contrariar o destino que lhe foi imposto, não teve perca nenhuma dos poderes, apenas teve alterações na parte física. Passou ser menor, mais resistente e mais forte que os elfos

Os líderes possessos com a falha dos feiticeiros, expulsam a menina da comunidade com 4 anos, e a abandona na floresta pra morrer sozinha

Contudo, uma feiticeira negra que ali vivia, amparou a pequena elfica. Adotando-a como uma filha que sempre desejará. A qual dera o nome de Anna

Pouco a pouco a feiticeira foi ensinando tudo de que sabe a menina. Fosse magia negra, fosse magia branca Anna aprendia com rapidez.

Antes dos 12 anos, Anna já sabia controlar com maestria todos os 4 elementos, contudo por achar tudo muito simples, ela era imprudente, ousada demais pra seu próprio bem.

Durante uma tempestade horrível, Anna decidiu que era tempo de controlar os espíritos. Contudo, Anna não sabia do ritual que sofrerá, não sabia que esse deixaram o seu corpo aberto pros espíritos, e muito menos sabia que era elfa

Ao realizar o ritual pra invocar os espíritos ali presente, devido à sua inexperiência, não diferenciará bons ou maus.Invocara todos.

Os espíritos olharam pra ela como a última água no deserto, sem entender, Anna foi possuída por todos 10 ali presente, bons e maus. 

Quote

Para alguém que prometi nunca deixar de sonhar 😉

Já estiveram em um dia que tudo parece que vai dar errado não importa o quanto você tente?

Bom, estava em um dia desses..

Bati o carro, levar o bolo do cara que gosto, todas suas roupas que passou a manhã toda lavando caírem no chão sujo e molhado..enfim..péssimo dia que tudo o que você deseja é dormir

Mas vem alguém e diz:

– Cara, por que vc não escreve? Gosto de ler o que escreve..

Então, esse é motivo de escrever..apenas onde possa deixar fluir toda minha imaginação